PUB

Ensino de qualidade na Sapu

A funcionar desde 2012, no bairro Sapu 2, município de Belas, em Luanda, a Escola Dom Moisés Alves de Pinho é procurada, todos os anos,  por pais dos mais diversos recantos de Luanda interessados em entregar a responsabilidade da educação formal dos filhos a profissionais com forte pendor cívico e moral.

“Os pais e encarregados de educação procuram a nossa instituição pela doutrina e a responsabilidade social que a Igreja Católica tem na educação e na busca e resgate dos valores, pela busca incansável do processo de ensino e aprendizagem, pelos métodos de ensino e o empenho dos professores”, disse a Irmã Ilda Pedro, directora da escola. Na Escola Dom Moisés Alves de Pinho, gerida pela Congregação das Irmãs Reparadoras, as aulas vão do ensino pré-escolar ao fim do primeiro ciclo do ensino secundário.

Funciona também, em dois turnos, o Subsistema de Ensino de Adultos. A escola dispõe, no presente ano lectivo, de 53 professores. Estão inscritos 1.605 alunos.

Aos professores, além da exigência da agregação pedagógica e de, no mínimo, terem de possuir o ensino médio concluído, é pedida boa conduta e a aceitação dos ideais das escolas católicas.

Esses ideais, disse a Irmã Ilda Pedro, fundam-se na encíclica “Gravissimum educationis”, que considera a escola católica como “uma realidade eclesial e lugar de autêntica e específica acção pastoral”. E acrescentou, para justificar a introdução da disciplina de religião: “As escolas católicas são ao mesmo tempo lugares de evangelização, de educação integral, de inculturação e de aprendizagem do diálogo de vida entre crianças, jovens e adultos de religiões e meio social diferentes.”
Outra especificidade da Escola Dom Moisés Alves de Pinho é o ensino da Língua Inglesa logo no ensino primário. Isso, segundo Ilda Pedro, “para que as crianças possam   comunicar  com o mundo”.

A cadeira de música na primária é uma recomendação do Ministério da Educação, mas a escola vai mais longe, prolongando o seu ensino até ao I Ciclo do Ensino Secundário. “Para aperfeiçoar e criar o gosto pela música”, disse a Irmã Ilda.

Apesar de depender quase inteiramente das propinas,   a direcção da Escola Dom Moisés Alves de Pinho aposta na implementação de projectos para melhorar directa e indirectamente a qualidade do ensino. São os casos da biblioteca, em fase de criação, e da creche, já em funcionamento.

“Em cada ano a escola dá prioridade a um projecto. Este ano apostamos no arranque das obras do Posto Médico, visto que a comunidade é grande e o acesso aos serviços básicos de saúde é deficitário. Mas faltam-nos os patrocínios”.

Outro projecto  em carteira é o Gabinete de Apoio Psicopedagógico, para fazer o acompanhamento de alunos com problemas de aprendizagem e a estruturação de aulas de reforço. “Pretendemos reduzir o número de alunos nas salas de aulas, o que passa pelo aumento de salas  e a consequente continuidade dos ciclos estudantis”.

 

Tagged under